28 de setembro de 2021 Miguel Silva

A China é líder indiscutível na produção de calçados, tendo alcançado uma participação no total mundial de 54,3% em 2020. Isso se traduziu em mais de 11 bilhões de pares produzidos pela China no ano passado.

No entanto, em uma década, a participação da China na produção global de calçados caiu 13%, correspondendo a mais de 8 pontos percentuais perdidos e caindo de uma participação de 62,4% em 2010.

Os Vencedores

Voltando à questão de quem está ganhando relevância no cenário internacional, a resposta mais simples é que vários países estão aproveitando a fatia perdida da China.

Primeiro, o Vietnã que conseguiu se consolidar como um dos principais fabricantes de calçados do mundo, passando de uma participação de 3,8% em 2010 para 6,4% em 2020. Isso resultou no dobro de calçados produzidos pelo Vietnã no ano passado, em comparação com 2010, e com o Vietnã passando da 4ª para a 3ª posição do ranking.

A Indonésia é outra vencedora, tendo aumentado sua participação de 3,3% para 5,1% em dez anos.

Bangladesh, que nem mesmo figurava no ranking dos 10 principais produtores de calçados em 2010, é hoje o 8º maior produtor de calçados do mundo, sendo responsável por 2,1% do total de calçados fabricados em 2020.

Paquistão e Turquia são os outros dois vencedores, ambos com cota de 2,4% em 2020, e crescendo, respectivamente, 1,4% e 0,9%.

O Caso da Índia

O gigante asiático, hoje o segundo maior fabricante de calçados, mantém a mesma posição de 2010 e exatamente a mesma participação no cenário global (10,2%).

Quem perdeu participação na última década?

Brasil, México, Tailândia e Itália são os países que figuraram entre os 10 maiores produtores de calçados em 2010 e que perderam relevância na última década. Em 2020, a Itália até saiu do ranking, e nenhum país europeu está representado no topo dos fabricantes de calçados. A Tailândia também não figura mais na lista dos 10 principais produtores de calçados do mundo.

Fonte: Footwear News

, ,